Consulta pública do Crepop: Atuação de psicólogas(os) na gestão integral de riscos, emergências e desastres

20190801-Consulta-pública-do-Crepop-Atuação-de-psicólogas-os-na-gestão-integral-de-riscos-emergências-e-desastres-2-768x768

A Psicologia na Gestão Integral de Riscos acompanha a possibilidade, não apenas de levar atendimento a um território atingido por uma situação adversa, mas também busca atender as demandas de uma população que já se encontra em uma situação de vulnerabilidade, sob a perspectiva das estratégias de mitigação, prevenção e antecipação.

Pensando nessa questão, o Conselho Federal de Psicologia (CFP), por meio do Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas (CREPOP), abriu consulta pública na última quarta-feira (7) às(aos) psicólogas(os) para a futura publicação “Referências Técnicas para atuação de psicólogas(os) na gestão integral de riscos, emergências e desastres”.

A versão preliminar já está disponível aqui e poderá receber contribuições até o dia 7 de setembro por meio do formulário: http://bit.ly/crepopemerg

A consulta pública é uma das etapas da metodologia do CREPOP antes do lançamento de uma referência. A ideia dessa fase é que psicólogas(os) possam fazer contribuições antes do lançamento do documento final, tornando o processo de elaboração da referência mais democrático e participativo. 

Passo a passo para a consulta pública

Para participar da consulta pública, a(o) psicóloga(o) precisa seguir as orientações: Após baixar o documento, ler a versão preliminar do texto destinado à consulta pública. Acessar o link do formulário no Google Forms (http://bit.ly/crepopemerg ), fazer suas contribuições ao documento no formulário, considerando cada eixo que organiza a Referência Técnica.

A consulta pública ficará no ar por 30 dias – de 07/08/19 à 07/09/19. Após o término do prazo, todas as contribuições ao texto preliminar serão enviadas à comissão de especialistas que trabalhará para a construção da versão final para publicação.

Acesse o texto preliminar para consulta pública.

(fonte: Conselho Federal de Psicologia)

Comente via Facebook

Comentário(s)